A Bela e a Fera

Por - março 22, 2017

foto: reprodução
A famosa animação A Bela e a Fera de 1991 do Walt Disney Animation Studios, agora ganha uma versão em live action. “Moradora de uma pequena aldeia francesa, Bela (Emma Watson) tem o pai Maurice (Kevin Kline) capturado pela Fera (Dan Stevens) e decide entregar sua vida ao estranho em troca da liberdade do progenitor. No castelo ela conhece objetos mágicos e descobre que a Fera é na verdade um príncipe que precisa de amor para voltar à forma humana.”


foto: reprodução
Nessa nova releitura do famoso conto de fadas, o enredo é bem fiel a versão original, acrescentando poucos elementos novos a história. Aqui veremos um pouco do passado da Bela e da Fera, e uma protagonista mais corajosa. Emma Watson é a atriz que dá vida a personagem e quem ajudou a moldar as novas características da personalidade da Princesa, que agora é uma jovem destemida que sonha alto, e nada a limita, ela quer aventura e sabe que o mundo está aí para isso. Emma está impecável como Bela, não consigo imaginar outra atriz interpretando esse papel. Amo vê-la cantando a canção “Bonjour”, são cenas realmente muito lindas.  
Quatro novas músicas foram adicionadas a esse filme, “If I Can’t Love Her”  interpretada pela Fera e “Evermore”, também cantada pela Fera depois que ele liberta Bela. Os objetos cantam a “Days in The Sun”, e Maurice embala a “How Does a Moment Last Forever”. São músicas não tão contagiantes, mas é uma forma de olhar os personagens de outra forma.

foto: reprodução
Minha cena preferida com certeza é a de Gaston (Luke Evan) e Lefou (Josh Gad) cantando na taverna. Luke Evan está perfeito no papel como Gaston, convencido, malvado e ignorante ele consegue convencer o público e ser um vilão a altura. O destaque cômico da história fica por conta de LeFou, e apesar de todo furor gerado por ele ser o 'primeiro' personagem assumidamente gay da história da Disney, essa característica não é tão evidente em cena. Ele mais parece um amigo dedicado do que alguém que está apaixonado por Gaston.


foto: reprodução
Algo que me incomodou nessa versão é a aparência dos objetos do castelo. Totalmente diferente da versão original, aqui  eles são mais robustos, e não tem a aparência fofinha como na animação. Confesso que prefiro eles como eram no longa de 1991, mas não posso deixar de ressaltar o quanto a cena da música “Be Our Guest“ (Seja a Nossa Convidada) é incrivelmente mágica despertando o imaginário de todos que assistirem. Para quem não se lembra a cena liderada pelo candelabro Lumière (Ewan McGregor), mostra vários personagens cantando e dançando ao mesmo tempo, comemorando a presença de Bela no castelo.


foto: reprodução
Os figurinos são espetáculo à parte, os trajes dos personagens e dos camponeses do pequeno vilarejo se adequam ao momento da época em que se passa a história. Os figurinos da Bela e da Fera são verdadeiras obras de arte.
O icônico vestido amarelo do baile contou com cerca de 2.160 cristais Swarovski. Seu volume foi composto por camadas de tecido, proporcionando leveza e movimento. Já o terno usado pelo Príncipe foi feito com veludo azul marinho, ele é todo bordado com fios de ouro! “Para criar a Fera, a equipe de produção de design se inspirou em vários animais diferentes, então pegamos essas pesquisas deles e bordamos vários destes animais no casaco”, explicou Jackie. E de acordo com a figurinista, 22 mil cristais Swarovski foram bordados apenas nessa peça.

foto: reprodução
O vestido da Bela em seu casamento é simplesmente um sonho. O modelo foi inspirado nas vestimentas do século 18, conta com estampas de fitas e flores em tons pastel. A saia tem várias camadas de tecidos de seda meio transparentes, cada uma com uma estampa diferente. A peça ainda tem um efeito que dá o aspecto de aquarela. É incrível ❤︎


TRAILER DE A BELA E A FERA

O filme recebeu várias críticas por não trazer grandes novidades ao roteiro, entre outras polêmicas. Porém, na minha opinião particular eu amei muito. “A Bela e a Fera” é um dos meus filmes preferidos da Disney e eu adorei ver os personagens de uma nova forma. Bateu até uma nostalgia, foi como revisitar um pedaço do meu passado, da minha infância. E por fim, fica a mensagem linda que essa história passa “amar as pessoas pelos que elas são por dentro”.

Eu fui assistir o filme numa sessão exclusiva dia 18 de março para leitores da jornalista e blogueira Karol Pinheiro. Amei conhecer a Ka e a Maqui ❤︎

Você também pode gostar

0 comentários