Feel The Beat

Por - setembro 20, 2020

 

April Dibrina (Sofia Carson) é uma jovem bailarina ambiciosa que almeja estrelar um grande espetáculo na Broadway. Por uma infeliz coincidência do destino ela acaba perdendo uma grande oportunidade de realizar seu sonho, e ao se encontrar sem nenhuma perspectiva e prestes a ser despejada de seu apartamento em NY ela decide voltar para casa do pai no interior. 
Ao voltar para sua cidade natal ela acaba reencontrando sua primeira professora de balé que precisa de ajuda para treinar um grupo de garotas que sonham em vencer um concurso de dança. April fica resistente no início mas logo percebe que essa poderia ser uma boa oportunidade para alcançar seu objeto, e acaba aceitando dar aulas para as meninas. A jovem deixará seu orgulho e arrogância de lado e vai aprender que fazendo o bem ele retorna pra você, de alguma forma. O que eu mais amei em Feel The Beat:

A DEDICAÇÃO DA SRA. BARB

Ser uma bailarina de sucesso exige muito esforço, aprendizado e foco, e às vezes encontramos pessoas um pouco severas demais nesse meio. Eu encontrei e foi por isso que desisti. Enfim, esse não é o caso da Sra. Barb (Donna Lynne Champlin) que com seu jeito  carinhoso acredita no potencial das meninas e sempre procura motivá-las ensinando lições de formas bem didáticas e divertidas. Enquanto que muitas vezes April é arrogante e severa, Barb sempre está preocupada com o que for melhor para as meninas, sempre incentivando e dizendo que elas podem ser sim boas bailarinas.
AS BAILARINAS
É comum vermos nesses filmes garotas super magras, altas e loiras, mas em Feel The Beat temos garotas reais. Aqui temos um grupo de crianças de vários tipos de corpos, idades, etnias e meninos e meninas dançando juntos. E o mais legal é que as meninas estão sempre unidas ajudando umas às outras sem nenhum tipo de competição entre si. 
E também acho muito lindo ver a relação que os pais têm com as meninas nesse filme. Em um mundo onde toda a responsabilidade de cuidar dos filhos fica sempre em cima das mulheres, aqui os homens entram em cena e nos proporcionam ver cenas muito fofinhas. Eles estão sempre ali pra ajudar seja da plateia ou dos bastidores. 
E é claro que não posso deixar de falar da April que depois de muito resistir finalmente encontra uma conexão com as pessoas ao seu redor e deixa de pensar só em si mesma e começa a se importar com aqueles que a cercam.
Me diz, você já assistiu o filme? O que achou?

Você também pode gostar

0 comentários